Eu sei como asfaltar a Castelo Branco


A Solução é Política e Governamental, mas de peso do cidadão!


Quando eu era pequeno, atravessava a avenida Castelo Branco em pé, no banco traseiro do meu avô Alberto Crippa, tentando me equilibrar. Me lembro bem que era difícil me segurar, pois desde aquele tempo, a história de buracos é a mesma. De lá pra cá, pouco mudou. Sempre achei que algo poderia ser feito, pelos prefeitos que passaram. Todos, certamente, têm suas justificativas para não terem feito a obra, que é e sempre foi tão necessária para a cidade.

Quando o “Laguna Internacional” se instalou, muitos, assim como eu, acreditaram que “a coisa” sairia do sonho. Mas nada aconteceu. Eu, particularmente, sempre achei que ao invés de asfaltarem, por exemplo, a última avenida que o grupo pavimentou, aquela que fica mais perto de quem vai para a pedra do Frade (paralela à própria Castelo Branco), e que até hoje não serviu de nada para o projeto Internacional, poderiam ter feito a principal. Primeiro por que é o primeiro acesso para o projeto que tinham e segundo, pois poderiam ter acordado com o Prefeito da época e ter descontado nos IPTUS que “deviam” dever. Não sei, mas talvez sejam mais um “inquilino” que empurra com a barriga e pensa no Refis, que sempre favorece ao mau pagador... Contudo, como discordo plenamente das criticas sem sugestões, estudei e pesquisei o que poderia servir de solução e encontrei um viés possível e que não importa se a avenida é filha de Laguna ou do Estado.

Existe dentro do Ministério dos Transportes um programa que se chama VAP (Via Arterial Principal de acesso a Portos). Tal programa prioriza com urgência, as avenidas que precisam de reparo e que são os principais acessos a qualquer tipo de porto. No caso de Laguna, como não pode passar grandes caminhões pelo centro tombado histórico, a Castelo Branco se torna o principal e único acesso até o porto pesqueiro. Porém programas deste tipo, abrigam vias federais. Mas assim como ocorreu há anos atrás, quando foi estadualizada a Castelo Branco para iluminá-la e posteriormente foi devolvida ao município, poderia ser federalizada, para se encaixar no programa do Ministério dos Transportes.

Para quem duvida da possibilidade disso, procurei algum caso semelhante no país e descobri que em IMBITUBA isso está ocorrendo agora. Na cidade vizinha, as obras devem sair do papel agora em 2012. Ali, o projeto do “restauro” foi financiado pela administração do Porto (isso pode ser copiado pela nossa Codesp) e irá contemplar com asfalto, ciclovias e outros itens, em cinco quilômetros. Assim como pode ocorrer com Laguna, em Imbituba todos os passos foram orientados pelo próprio Ministério, inclusive de federalização da via, através da Lei nº 3.789 (a Via Arterial Principal -VAP), que consiste pelas Avenidas Marieta Konder Bornhausen e Manoel Florentino Machado. O grande detalhe que o custo será pago pelo PAC2.

Desta forma, como temos grande acesso aos partidos PT e PMDB, que presidem o país, juntos e sem querer apadrinhar “a criança”, agora se tem todas as condições, formas, maneiras, Leis, exemplos de como resolver tal questão.

Eu como cidadão me sinto satisfeito em contribuir para isso e agora resta a comoção popular e a real força política para seguir os mesmos passos, que Imbituba seguiu.

Mais informações no site: http://www.cdiport.com.br/noticia/_2011/reuniaoMTB.html ou no próprio site do Ministério dos Transportes.

Lagunenses: agora dá para fazer, vamos cobrar então que seja feito...

3 comentários:

JRosa disse...

Excelente matéria. É lamentável termos o principal acesso de turistas totalmente esburacado.
Vamos torcer para que seja tomada alguma providência.

ericmeyer disse...

Excelente iniciativa Preto! Agora resta saber se haverá vontade política.

Henrique Vieira Medeiros disse...

parabéns pela iniciativa